20 de dez de 2009

AMANHECER



Descobre-se uma nova forma de prazer, substitui o sentimento de posse pelo desejo de liberdade. Não quer ser proprietário, não quer ser propriedade, quer encontrar uma nova forma de amar. As horas apressam-se nos relógios, ontem e hoje misturam-se num único dia. Quase manhã, prenúncio das luzes da aurora que nasce sem pressa no horizonte. Já sabe para onde vai. Os passos estão cansados e sem ritmo, mas são constantes. Não sabe se está feliz ou triste, mas sabe que sobreviveu, que está feliz por estar vivo.

Nenhum comentário: