29 de mai de 2012

AMIZADE



O que é o sentimento
de Amizade, senão
aquele que te recebe sem ressalvas.

 

Que te aceita por completo
com suas virtudes e fraquezas.

 

Que usa da franqueza absoluta, 
sem dó ou piedade, quando 
acredita que esta é a única forma
de acordá-lo pra vida.

 

Que silencia...
Te acolhe, põe no colo.

 

O que é o sentimento
de Amizade, senão
Afinidade, Sintonia, Bem-querer.

24 de mar de 2012

HEY HO, LET'S GO - A HISTÓRIA DOS RAMONES

Capa do livro lançado pela Editora Madras
A banda mais injustiçada da história...falando assim, nem parece que gosto da maior banda de Punk Rock da história e uma das melhores do mundo. Ontem terminei de ler essa magnífica biografia. A Editora Madras teve culhões para lançar uma edição da biografia do Ramones, escrita de forma entendedora pelo jornalista e fã de carteirinha Everett True. O livro baseia-se nos 22 anos de carreira da banda contada de forma detalhada sobre pessoas que fizeram parte da história e pessoas que foram influenciadas pelo som e pelo aspecto cultural que os Ramones causaram na metade dos anos 70, mesmo a banda nunca ter o devido sucesso. O livro inicia contando a infância e juventude de Joey, Johnny, Dee Dee e Tommy passando pelo início selvagem com os três primeiros álbuns e passando pela saída de Tommy, contando sempre de forma detalhada cada uma dessas passagens, passando pela entrada e saída de Marky e explicando a passagem de Ritchie Ramone, que, mesmo lançando três albúns com a banda e ter escrito algumas músicas magníficas, segundo informações do livro, é uma época que todo mundo que fez parte não faz questão de comentar, a saída inesperada de Dee Dee em 89 e a entrada de C.J, quando ele trouxe um novo ar à banda. O livro mostra também o lado sombrio da banda, as brigas internas que a banda sempre teve desde seus primórdios, as drogas, os problemas com álcool. O silêncio entre Joey Ramone e Johnny Ramone que não se falaram por quinze anos, até o fim da banda, quando Johnny roubou a namorada de Joey. O livro relata também a frustração que a banda carregou durante a carreira inteira onde não obteve nenhum sucesso em venda de discos e teve que permanecer em constantes turnês durante a carreira inteira totalizando 2.263 shows. E quem pensa que True pega leve nos comentários dos álbuns, está enganado, há alguns comentários sobre alguns álbuns que é deixar qualquer fã muito de cara. Coisas como de quando os Ramones lançaram o Acid Eaters, True comenta que a banda está desgastada e não consegue nem lançar um álbum de inéditas, dizendo que a banda perdeu sua essência. Como assim? Acid Eaters é um álbum magnífico no meu ponto de vista, mesmo sendo de covers. E na implicância que o autor tem de questionar quando C.J. canta inúmeras músicas nos últimos álbuns. Ou também dizendo que quando Dee Dee saiu, a banda tornou-se cover de si mesma. São essas e outras coisas que tu fica muito de cara lendo, mas tudo passável e o que deixa o livro ainda mais interessante. O livro peca em alguns quesitos, a capa é uma montagem no lugar onde está Dee Dee, era pra estar Marky e onde está Tommy, era pra estar C.J.,se quisessem colocar uma foto com a formação clássica, era só colocar e não fazer uma montagem bem estranha, a tradução peca em alguns momentos deixando o texto bem confuso e algumas fotos estão bem mal impressas, se fossem coloridas seriam melhores. Fora isso, uma obra de arte que todo fã de Ramones deveria ter e ler. Lendo o livro dá pra ter uma pequena noção o quanto o Ramones foi influência para milhares de bandas que vieram após eles,influência que teve na maneira de se expressar  e também as pessoas precisam ler esse livro para quebrar o mito de pensou em Punk, pensou em Sex Pistols, isso é muito errado, sempre soube que Sex Pistols são meros coadjuvantes no legado que o Ramones criou. Depois desse livro me tornei um aficcionado por Ramones, querendo conhecer ainda mais à fundo essa banda que é de uma influência imensa para mim desde sempre. Se eu já era louco por Ramones, me tornei o dobro.
HEY HO, LET'S GO!

12 de mar de 2012

DOWN

Down: Em sua antiga formação
Em uma dessas minhas buscas por sons novos ao meu ouvido, não no sentido de escutar bandas recentes, mas sim bandas que já existiam e eu não conhecia, acabei conhecendo o Down, um ex projeto paralelo de músicos do Pantera, Corrosion Of Conformity, Crowbar e Eyehategod. Formado em 1991, lançando o excelente NOLA em 1995, que significa New Orleans Lousiana, mas, o que dizem é que significa o termo usado para rotular a cena Doom Metal daquela região dos EUA. Mas vamos ao que interessa. Nessa longa estrada da banda que já dura 20 anos, a banda tem apenas 3 álbuns lançados, devido ao trabalho de suas bandas de origem que, como já tinha sido mencionado, era um projeto paralelo. a banda, em cada álbum tem uma porrada de sons, o seu primeiro álbum tem uma porção de sons que é usada até hoje nos seus shows, tais elas como Lifer, Temptation's Wings, a minha preferida Eyes Of The South e as essenciais Stone The Crow e Bury Me In Smoke. São músicas incríveis. No meu ponto de vista, ouvindo constantemente a banda, e conhecendo as bandas de seus respectivos integrantes, cada um trouxe um elemento e criou o som que identifica o Down,  mesmo ainda sendo uma banda não tão conhecida, pelo menos as músicas, mesmo todo mundo cantando as músicas durante o show inteiro, ainda não teve o respeito merecido, pelo menos aqui no Brasil. Um show esse que tive o enorme prazer em presenciar e ver de perto a figura enigmática de Phil Anselmo, lenda viva do metal, ex vocalista de uma das melhores bandas do planeta: Pantera. E também vendo de perto um guitarrista de grande influência musical pra mim: Pepper Keenan, ex vocalista do Corrosion Of Conformity. O Som do Down dá pra resumir num som arrastado com guitarras muito pesadas e muita mas muita influência do som do Sul dos EUA, aquela veia meio country, stoner. Hoje em dia a banda conta com a seguinte formação: Phil Anselmo (Vocal), Kirk Windstein (Guitarra), Pepper Keenan (Guitarra), Pat Bruders (Baixo) e Jimmy Bower (Bateria). Já passou pela banda o Ex Pantera Rex fuckin' Brown tocando baixo, saindo em 2011 por qualquer motivo que ainda permanece desconhecido. Grande banda que estava na ativa até hoje e está preparando um novo álbum que pode sair ainda esse ano, uma banda que eu recomendo os 3 álbuns lançados, porque é uma música melhor que a outra e que o Down não perca essa essência que se tornou sua marca registrada.

DISCOGRAFIA:

NOLA (1995)
  1. "Temptation's Wings" – 4:24
  2. "Lifer" – 4:36
  3. "Pillars of Eternity" – 3:57
  4. "Rehab" – 4:03
  5. "Hail the Leaf" – 3:28
  6. "Underneath Everything" – 4:46
  7. "Eyes of the South" – 5:13
  8. "Jail" – 5:17
  9. "Losing All" – 4:21
  10. "Stone the Crow" – 4:42
  11. "Pray for the Locust" – 1:07
  12. "Swan Song" – 3:35
  13. "Bury Me in Smoke" – 7:04

 DOWN II: A BUSTLE IN YOUR HEDGEROW (2002)
  1. "Lysergik Funeral Procession" (Anselmo/Keenan/Bower/Windstein) – 3:10
  2. "There's Something On My Side" (Anselmo/Keenan/Windstein) – 5:21
  3. "The Man That Follows Hell" (Anselmo/Keenan) – 4:33
  4. "Stained Glass Cross" (Anselmo/Keenan/Bower) – 3:36
  5. "Ghosts Along the Mississippi" (Anselmo/Keenan/Windstein/Bower/Brown) – 5:06
  6. "Learn From This Mistake" (Anselmo/Keenan/Brown) – 7:14
  7. "Beautifully Depressed" (Anselmo/Keenan/Windstein/Bower) – 4:52
  8. "Where I'm Going" (Anselmo/Keenan) – 3:10
  9. "Doobinterlude" (Bower) – 1:50
  10. "New Orleans Is A Dying Whore" (Anselmo/Windstein/Keenan/Bower) – 4:15
  11. "The Seed" (Anselmo/Keenan/Bower) – 4:21
  12. "Lies, I Don't Know What They Say But..." (Anselmo/Keenan/Brown) – 6:21
  13. "Flambeaux's Jamming With St. Aug" (Bower) – 0:59
  14. "Dog Tired" (Anselmo/Keenan/Bower) – 3:21
  15. "Landing On The Mountains Of Meggido" (Anselmo) – 7:49

 DOWN III: OVER THE UNDER (2007)
  1. "Three Suns and One Star" (Anselmo/Windstein) - 5:41
  2. "The Path" (Anselmo/Brown) - 4:09
  3. "N.O.D." (Keenan/Windstein/Anselmo) - 4:00
  4. "I Scream" (Anselmo/Keenan) - 3:48
  5. "On March the Saints" (Anselmo/Keenan/Windstein) - 4:10
  6. "Never Try" (Keenan/Brown/Anselmo) - 4:55
  7. "Mourn" (Keenan/Anselmo) - 4:44
  8. "Beneath the Tides" (Anselmo/Keenan) - 5:32
  9. "His Majesty the Desert" (Keenan/Anselmo) - 2:25
  10. "Pillamyd" (Keenan/Anselmo) -5:15
  11. "In the Thrall of It All" (Anselmo) - 6:20
  12. "Nothing in Return (Walk Away)" (Keenan/Anselmo) - 8:55



 

7 de mar de 2012

NOSTÁLGICO







Ainda guardo no velho armário,
Lembranças daqueles bons tempos.
Ainda ouço as mesmas canções
Que marcaram nossos momentos.
Éramos jovens e muito loucos,
Cheios de vida e bastante alegria!
Sou integralmente a nostalgia.
 

2 de mar de 2012

ÁLBUNS PREFERIDOS PARTE II

EXODUS - LET THERE BE BLOOD (2008)
Lançamento: 28 de Outubro de 2008
Gravação: 2008
Duração: 45:42
Gravadora: Zaentz Records
Produção: Gary Holt


Álbum de regravação do clássico absoluto "Bonded By Blood", gravado em 1985. Dessa vez o Exodus deixou bem claro o porque ainda mais as músicas que compõem esse álbum se tornaram clássicos e são executadas até hoje em shows. A diferença começa na forma de gravação, a tecnologia posta hoje em dia, deu o valor que o álbum sempre mereceu, claro, sem desmerecer a maneira que Bonded...foi gravado e todo valor histórico que aquele álbum representa. Muita gente torceu o nariz quando o Exodus deu a notícia sobre a regravação. Na minha opinião ficou genial o álbum, mesmo com dois remanescentes Gary Holt(guitarra) e Tom Hunting(Bateria). Rob Dukes está mostrando porque veio logo de início em "Bonded By Blood", arrasando quarteirão com seu vocal forte e com uma produção impecável, fazendo com que todos os instrumentos estejam audíveis. A pancadaria rola solta em "Exodus", o início ficou matador. A faixa que eu sempre mais gostei do Exodus foi "No Love" e, com certeza, foi a primeira canção que eu ouvi, quando soube da existência desse álbum. Gary Holt acrescentou um belo violão na sensacional introdução e o Riff da parte porrada está muito, mas muito pesado, fiquei emocionado quando ouvi essa música sensacional. O álbum é sem comentários a mais, afinal, é um clássico revisitado e BEM revisitado. Exodus a cada álbum que passa, mostra o porque é uma lenda viva do Thrash Metal e com certeza, essa formação que está hoje em dia, é de deixar pra trás o passado bem sucedido com Steve Zetro nos vocais. LONGA VIDA AO EXODUS. AMÉM!

Faixas:
  1. "Bonded by Blood" – 3:35
  2. "Exodus" – 4:17
  3. "And Then There Were None" – 5:14
  4. "A Lesson in Violence" – 3:47
  5. "Metal Command" – 4:12
  6. "Piranha" – 3:54
  7. "No Love" – 5:48
  8. "Deliver Us to Evil" – 7:43
  9. "Strike of the Beast" – 4:18
  10. "Hell's Breath" – 2:49






IRON MAIDEN - PIECE OF MIND (1983)
Lançamento: 16 de Março de 1983
Gravação: Compass Point Studio, Nassau, Bahamas de Janeiro-Março 1983
Duração: 45:53
Gravadora: EMI
Produção: Martin "Headmaster" Birch


O que falar sobre Piece Of Mind? Que ele tem algumas várias músicas que consagraram a banda como a essencial The Trooper, Flight Of the Icarus, Revelations e as pauladas Where Eagles Dare que abre o álbum de forma magnífica. A certeitra Die With Your Boots On que é uma música bem estilo de Iron Maiden. Falando do álbum de forma geral, segue a linha rápida e complexa(liricamente falando) do seu antecessor, The Number Of The Beast, outro clássico. Adrian Smith e Dave Murray fazendo a dupla de solos diretamente ao ponto. Primeiro álbum da banda com o até então desconhecido Nicko McBrain que se tornou uma peça fundamental para a Donzela no seus álbuns posteriores. Grande banda, grande álbum, grandes músicas, e falar que o Iron Maiden é grande até hoje depois de quase 30 anos após o lançamento desse álbum e entre 10 bandas, 10 são influenciadas pelo Maiden é de se pensar em querer ouvir uma banda e um álbum como esse. Se você ainda não ouviu, está perdendo um grande pedaço da história do Metal.

Faixas:

1. Where Eagles Dare
2. Revelations
3. Flight of Icarus
4. Die With Your Boots On
5. The Trooper
6. Still Life
7. Quest for Fire
8. Sun and Steel
9. To Tame a Land

13 de fev de 2012

FELIZ 2012

Olá, boa noite a todos. Mais uma vez deixei o blog sem atualização por um longo período. A falta de vontade e a falta do que escrever eram grandes. Mas volto com o primeiro post de 2012 querendo mudanças por aqui, vontade de mudar os assuntos, escrever, talvez, a minha opinião sobre filmes que assisto, porque ultimamente tenho assistido algumas coisas interessantes. Ou também deixar dicas de filmes, afinal, modéstia à parte me achou um bom indicador de filmes. Acho que irei mudar o nome do blog, já que pretendo mudar os temas do blog. Música, eu acho que não posso deixar de fora, afinal, ando sempre ouvindo algumas coisas, e o básico de sempre pra dar alguma opinião ou sugestão de escuta para os mais interessados. Era isso. 
Forte abraço

23 de out de 2011

ESSÊNCIA FEMININA


Todas as flores tem seu perfume
E tem seus espinhos, basta cuidar
Delas com muito carinho.

Toda mulher tem atitude
Toda mulher sabe dar e
Receber amor

Mulheres e flores uma só
Beleza, um único perfume

Dom da natureza, Perfeita
em sua essência.