24 de mar de 2012

HEY HO, LET'S GO - A HISTÓRIA DOS RAMONES

Capa do livro lançado pela Editora Madras
A banda mais injustiçada da história...falando assim, nem parece que gosto da maior banda de Punk Rock da história e uma das melhores do mundo. Ontem terminei de ler essa magnífica biografia. A Editora Madras teve culhões para lançar uma edição da biografia do Ramones, escrita de forma entendedora pelo jornalista e fã de carteirinha Everett True. O livro baseia-se nos 22 anos de carreira da banda contada de forma detalhada sobre pessoas que fizeram parte da história e pessoas que foram influenciadas pelo som e pelo aspecto cultural que os Ramones causaram na metade dos anos 70, mesmo a banda nunca ter o devido sucesso. O livro inicia contando a infância e juventude de Joey, Johnny, Dee Dee e Tommy passando pelo início selvagem com os três primeiros álbuns e passando pela saída de Tommy, contando sempre de forma detalhada cada uma dessas passagens, passando pela entrada e saída de Marky e explicando a passagem de Ritchie Ramone, que, mesmo lançando três albúns com a banda e ter escrito algumas músicas magníficas, segundo informações do livro, é uma época que todo mundo que fez parte não faz questão de comentar, a saída inesperada de Dee Dee em 89 e a entrada de C.J, quando ele trouxe um novo ar à banda. O livro mostra também o lado sombrio da banda, as brigas internas que a banda sempre teve desde seus primórdios, as drogas, os problemas com álcool. O silêncio entre Joey Ramone e Johnny Ramone que não se falaram por quinze anos, até o fim da banda, quando Johnny roubou a namorada de Joey. O livro relata também a frustração que a banda carregou durante a carreira inteira onde não obteve nenhum sucesso em venda de discos e teve que permanecer em constantes turnês durante a carreira inteira totalizando 2.263 shows. E quem pensa que True pega leve nos comentários dos álbuns, está enganado, há alguns comentários sobre alguns álbuns que é deixar qualquer fã muito de cara. Coisas como de quando os Ramones lançaram o Acid Eaters, True comenta que a banda está desgastada e não consegue nem lançar um álbum de inéditas, dizendo que a banda perdeu sua essência. Como assim? Acid Eaters é um álbum magnífico no meu ponto de vista, mesmo sendo de covers. E na implicância que o autor tem de questionar quando C.J. canta inúmeras músicas nos últimos álbuns. Ou também dizendo que quando Dee Dee saiu, a banda tornou-se cover de si mesma. São essas e outras coisas que tu fica muito de cara lendo, mas tudo passável e o que deixa o livro ainda mais interessante. O livro peca em alguns quesitos, a capa é uma montagem no lugar onde está Dee Dee, era pra estar Marky e onde está Tommy, era pra estar C.J.,se quisessem colocar uma foto com a formação clássica, era só colocar e não fazer uma montagem bem estranha, a tradução peca em alguns momentos deixando o texto bem confuso e algumas fotos estão bem mal impressas, se fossem coloridas seriam melhores. Fora isso, uma obra de arte que todo fã de Ramones deveria ter e ler. Lendo o livro dá pra ter uma pequena noção o quanto o Ramones foi influência para milhares de bandas que vieram após eles,influência que teve na maneira de se expressar  e também as pessoas precisam ler esse livro para quebrar o mito de pensou em Punk, pensou em Sex Pistols, isso é muito errado, sempre soube que Sex Pistols são meros coadjuvantes no legado que o Ramones criou. Depois desse livro me tornei um aficcionado por Ramones, querendo conhecer ainda mais à fundo essa banda que é de uma influência imensa para mim desde sempre. Se eu já era louco por Ramones, me tornei o dobro.
HEY HO, LET'S GO!

Nenhum comentário: